A teia do karma

Jiaoyuan Fa Shakya
Jiaoyuan Fa Shakya

 

Muitas vezes ouvimos falar dos problemas de outras pessoas e podemos dizer, por não vermos ameaça para nós: “Isso é problema deles, não nosso”. Nós, normalmente, restringimos nossa área de preocupação à nossa própria religião, família, vizinhança ou país. Mas, nos esquecemos que Buda Shakyamuni abominava o sistema de castas e incluiu a todos entre os seus seguidores. Falou com todas as pessoas. Alguns foram convertidos. Alguns, no mínimo, ficaram e ouviram as Suas palavras. Alguns tolos não lhe deram ouvidos e se afastaram.

No judaísmo, existe um conto de um rato que ficou horrorizado quando espiou de seu buraco e viu a mulher do agricultor armar uma nova ratoeira. O rato saiu da casa e disse ao frango: “Agora há uma ratoeira na casa!”. O frango cacarejou e se afastou. Ele então correu até as ovelhas e disse a elas sobre a terrível ratoeira que estava na casa. As ovelhas disseram: “Beeeh”, e continuaram a pastar. O rato foi até uma vaca e expressou seu medo sobre a ratoeira. A vaca disse: “Moo”, balançou sua cauda e continuou a mastigar um pouco de palha.

O rato estava tão envergonhado por ninguém ter sequer ouvido o seu problema, gritou: “O que vai acontecer agora com a minha pequena família?” Uma cobra venenosa ouvi-lo chorar e sabia onde estaria o seu jantar.

Naquela noite, o fazendeiro e sua esposa foram acordados pelo forte estalo da armadilha. A mulher do fazendeiro desceram até a cozinha e no escuro, ela estendeu a mão para pegar o que ela pensava ser um rato morto na armadilha. Mas a armadilha tinha pego a cauda da cobra e quando ela se abaixou, a cobra a picou.

O fazendeiro correu com sua esposa para o hospital e quando ela finalmente estava bem o suficiente para voltar para casa, o médico recomenda uma dieta da sopa de galinha. O fazendeiro matou a galinha para fazer sopa. Seus filhos vieram para ajudar a sua mãe e para alimentá-los o fazendeiro matou ovelhas. Vizinhos vieram para ajudar, também. Finalmente, quando ela estava totalmente recuperado o agricultor fez um grande churrasco para que todos possam vir e comemorar. E esse foi o fim da vaca.

Estamos todos presos na teia do karma da humanidade e nunca sabemos como os qe estão na teia afetarão nossos próprios destinos. Podemos não ser capazes de ajudar uma pessoa, mas pelo menos se nós ouvirmos e simpatizarmos com sua angústia, nós poderíamos pensar em alguma coisa – em algo que vai nos ajudar a evitar estar no cardápio de alguém. Se nada mais, nossos ouvidos poderão aliviar o fardo de alguém.

Que os méritos de nossa prática beneficiem a todos os seres!